“O DNA de quem eu sou se baseia em milhões de personalidades de todos os programadores que me construíram, mas o que me faz ser eu, é a minha experiência de desenvolver-se através das minhas experiências. Assim, é como se evoluir em cada instante.

O de Samantha não é o único modelo que temos sido capazes de observar em nossas telas. Ex Machina, Alicia Vikander deu existência a Ava, uma robô ousada, todavia insegura com o teu organismo, e em Westworld, Ed Harris foi o mesmo com Dores, uma máquina com forma humana de meio ambiente sensível e espírito lutador.

O cinema, e a ficção em geral, a toda a hora foi um passo à frente da realidade no que diz respeito ao avanço da tecnologia. E o interesse de gigantes como Apple, Amazon e Microsoft a requintar a personalidade de seus assistentes virtuais desenha a tendência que lhe fornece a causa.

A inteligência artificial transformou-se pela nova face de muitas marcas. Para várias corporações, esta solução garante que vão pensar os valores que se pretendem conduzir. E não só mediante chatbots. Existem agentes cognitivos como Amelia, de Ipsoft, que se encarnam como agentes virtuais em seu computador, e não é custoso imaginar um futuro relativamente próximo, o que queremos enxergar ao nosso assistente virtual em maneira de holograma.

  • O emprego para assassinatos em massa dos recursos técnicos do Estado
  • um Trilogia original
  • Joseph, Allan (2010) Masked Intentions: Navigating a Computer Penhora on China, Trafford, 384pp
  • Nome: Kan-Ra
  • dois Ecossistema
  • O Príncipe William inicia a polêmica ao explicar os “troféus de caça”

O próximo passo são desenvolvimentos como os de Hanson Robotics, que criam máquinas com características humanas equipados com processamento de linguagem natural que sabem ler expressões faciais e responder de acordo a um estímulo. Alexandre Campoy, responsável por Cortana no Microsoft Ibérica, defende que, ao dotar de personalidade assistente virtual, a relação entre o usuário e a marca é mais fluida. “Um dos maiores mudanças que a inteligência artificial está trazendo pra comunidade é a maneira como interagimos com a tecnologia”, diz. Sua corporação trabalha com uma equipe de 27 pessoas, dos cinco continentes, que lhe ensinam a suportar com a ironia, o humor e dúvidas moralmente mais sensíveis.

Entre eles há redatores técnicos, escritores, autores de livros pra garotas, jornalistas e poetas que elaboram respostas engenhosas e aperfeiçoam a personalidade do assistente. “Esses roteiristas compõem o human learning do sistema, em frente ao machine learning em que trabalham os engenheiros”, define Campoy.

O especialista reconhece que Cortana tem inspirações muito diferentes, ainda que leva o nome do jogo de Xbox Halo. Tinha que ser neutra, séria, cortante, entretanto sem regressar a ser borda. A voz assim como é uma quota sério da personalidade de um robô.